17.7.19

Maratona de Releituras 2019


Oi gente que ama livros!

Se você me acompanha aqui no blog há algum tempo, deve saber que o mês de Julho é dedicado à Maratona de Releituras, ou seja, me permito reler alguns livros que de alguma maneira foram importantes para mim e por eu tê-los lidos antes de criar o blog, não possuem resenha por aqui.

Sendo assim, escolhi 4 livros para reler e são eles:

1 - Los Angeles (Marian Keyes) – Li este livro pela primeira vez em 2010, o ano em que conheci os livros da autora e ela passou a ser uma das minhas favoritas da vida. Este livro é o terceiro volume da série Irmãs Walsh que traz a proposta de contar as aventuras de cinco irmãs, uma mais maluca que a outra e que na verdade tem tantas coisas em comum com as mulheres contemporâneas que de malucas não tem nada. Escolhi este livro porque lembro nitidamente de rir muito com algumas cenas e espero que isso aconteça outra vez.
Sinopse: Maggie sempre foi uma anjinha, a cria mais certinha da complicada (e engraçadíssima) família Walsh... até se cansar de andar na linha e mandar todas as regras que a prendiam a um dia-a-dia em sal (e muito menos açúcar) às favas - a começar pelo casamento (que, para o bem da verdade, nunca havia realmente engrenado) e o trabalho bitolante numa firma de advocacia. Ao largar essa vida em preto e branco no passado, Maggie decide se mandar para o lugar onde a realidade promete ser em Technicolor: Hollywood, claro! Terra do glamour, da liberdade, da beleza (até as palmeiras das calçadas são magras), da luxúria e, obviamente, da diversão! Em Los Angeles, o sexto romance de Marian Keyes, a consagrada autora de "Melancia" e "É Agora... Ou Nunca", acompanhamos Maggie Walsh em sua busca por um sentido na vida em meio às calçadas estreladas de Hollywood, os subúrbios sofisticados de L.A., o bronzeado deslumbrante que só se consegue nas praias da Califórnia, vários martínis, algumas decepções... e muitas risadas, claro. Ao se hospedar com sua melhor amiga, Emily, uma pretendente a roteirista, Maggie começa a fazer coisas que jamais fizera antes: se infiltra em grupinhos de estrelas de Hollywood (mesmo que do segundo escalão), usa meias-calças na cabeça para firmar o penteado, se especializa em ser cara de pau profissional para realizar apresentações de roteiros a grandes (ou nem tanto) produtores... Mas será que em meio a tanta aventura, drama e comédia pastelão haverá espaço para um romance - daqueles bem cafonas e açucarados (ou seja, os melhores de todos)? 

2 – A Herdeira (Sidney Sheldon) – Passei a minha adolescência lendo os livros deste autor e esse em especial foi marcante porque lembro de não conseguir largar a leitura por se tratar de um suspense misturado com uma saga familiar. 
Sinopse: Em A herdeira, de Sidney Sheldon, os rastros da misteriosa morte do empresário Sam Roffe perturbam a vida de sua filha Elizabeth. Após uma série de atitudes suspeitas entre as pessoas ligadas à empresa, é preciso ficar atento aos olhares interessados na fortuna da segunda maior companhia farmacêutica do mundo. A empresa Roffe & Filhos, presente em todas as partes do globo, compreende uma dinastia de muitos milhões de dólares. A capacidade de fundar e administrar esse império empresarial fez com que Sam Roffe ficasse reconhecido mundialmente como um competente homem de negócios. No entanto, sua inesperada e misteriosa morte, somada à crise financeira enfrentada pela companhia, gera uma reviravolta no comportamento de pessoas até então confiáveis. Sempre dinâmico e bem-disposto, Sam jamais poderia prever que precisaria de um sucessor tão cedo. E como exigia que os diretores e acionistas da empresa se restringissem aos membros da família, naturalmente sua filha Elizabeth assume a presidência. Porém, a herdeira não imagina que essa decisão pode lhe custar caro. Em meio a essa trama de paixões e conspirações, é necessário mudar as regras, nem que para isso seja preciso lançar mão de recursos ilegítimos, inclusive sabotagens e assassinatos.

3 – Os Homens Que Não Amavam As Mulheres (Stieg Larsson) - Este é um livro que eu li em 2010 e a primeira tentativa não deu muito certo. As primeiras páginas foram cansativas e eu quase abandonei. Ainda bem que insisti, pois sem dúvida, é um dos melhores livros de investigação policial que eu já li.
Sinopse: O jornalista Mikael Blomkvist acaba de ser condenado e sentenciado a três meses de prisão por difamar um poderoso financista. Recebe então uma proposta intrigante: o grande industrial Henrik Vanger quer contratá-lo para escrever a biografia de sua conturbada família. Mas, sobretudo, Vanger quer que Mikael investigue o sumiço de sua sobrinha Harriet, desaparecida sem deixar vestígios há quase quarenta anos. Henrik também se dispõe a salvar a 'Millennium', revista capitaneada por Mikael, que se encontra em risco de falência. De início contrariado, o jornalista acaba aceitando a tarefa. Harriet desapareceu quando sua família se reunia para um encontro em uma ilha. Inteligente e sensível, a moça era a favorita de Henrik. Suspeitos não faltam, pois se todas as famílias têm esqueletos no armário, o clã Vanger parece dispor de um cemitério inteiro. Em sua busca febril, Mikael recebe a ajuda de uma jovem e genial hacker, Lisbeth Salander, cuja magreza anoréxica só é comparável à fúria silenciosa que nutre contra a sociedade. Mas, como Mikael logo compreende, se alguém esconde um segredo torpe, é certo que Lisbeth irá descobri-lo. E, de fato, pouco a pouco, o jornalista e sua improvável parceira desvendam um verdadeiro circo de horrores. 'Os homens que não amavam as mulheres' não é apenas um dos mais comentados romances policiais dos últimos anos, tendo tomado de assalto a lista dos mais vendidos dos países onde foi publicado. É uma obra de dimensões oceânicas, que se desdobra pelos mais diversos aspectos da vida moderna – os crimes de colarinho branco, a responsabilidade do jornalismo econômico com a ciranda financeira, o fenômeno da internet e da invasão de privacidade, o ódio contra as minorias. Por isso, além de seduzir com seu intrincado mistério, fornece ainda uma reflexão ética sobre a sociedade atual, sobre os segredos de cada um e a responsabilidade de todos.

4 – O Retrato De Dorian Gray (Oscar Wilde) – Li este livro pela primeira vez em 1998 e lembro o quanto adorei conhecer esta história e como isso me impulsionou para ler mais coisas do autor. Reler este enredo será um retorno para aquela época.
Sinopse: Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade.

Estas foram as minhas escolhas de releituras e estou muito empolgada em me reencontrar com estes enredos e rever estes personagens. Tenho certeza que será maravilhoso.

E vocês, se tivessem que escolher livros para reler dentro de um mês, quais seriam as suas escolhas? Deixem nos comentários os livros que fariam parte da seleção de vocês, adorarei conferir.

Beijos

9 comentários:

  1. Olá!

    Adorei essa ideia de se permitir reler e realmente tirar um tempo para isso. Eu sinto muita vontade de reler alguns livros mas nunca me permito, pois a lista de leitura é longa, mas morro de saudade de algumas histórias. Depois de ler seu post acho que vou aderir a um tempo para releitura, Finaly que me aguarde rs.... Além de me inspirar a reler ainda acrescentei dois livros a lista de leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu também tenho muitos livros que quero ler, pois são ótimas histórias no entanto não possui resenha no blog ou no meu ig pois nessa época eu não os havia criado. Bom, queria muito ler Uma Razão para Respirar, a trilogia Métrica, entre outros. Quero muito acompanhar esse seu mês de releituras para saber que você irá gostar ou não de aventurar nesses enredos já conhecidos.

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Também li vários livros do Sidney Sheldon há anos atrás, alguns eu me recordo das histórias, outros não, mas em sua grande maioria foram leituras ótimas!
    Dorian Gray eu li ainda no ensino médio e gostei bastante, o autor conseguiu me surpreender com sua história!
    Desejo-lhe ótimas releituras!

    ResponderExcluir
  4. Estava esses dias pensando nisso, em reler algumas obras que tenho vontade. Estou pensando em desenvolver um projeto ano que vem em relação a isso. Eu tenho o Retrato de Dorian Gray, mas ainda não o li. Ele é curtinho, espero estar lendo em breve. Gostei demais de suas postagem e da ideia de reler suas obras.

    ResponderExcluir
  5. Oi! Eu sou a doente das releituras! Eu quase todo mês estou lendo algum livro que já tenha lido em algum momento. Gosto de fazer isso porque além de me reencontrar com histórias e personagens queridos pra mim, eu renovo a bateria e meio que limpo a mente pra iniciar novas leituras! Amei sua lista!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  6. Olá Ivi!!!
    É sempre bom reler livros e esse mês estou fazendo isso com meu "Razão e Sensibilidade". Também amo os livros do Sidney Sheldon e tenho vontade de reler os que tenho aqui (Quem sabe um dia?).
    Adorei os livros que você escolheu para reler ^^

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Ooi,
    As vezes também tenho vontade de reler alguns livros! Se fosse fazer um mês de releituras, provavelmente iria reler "Um Dia", "A Hora da Estrela" e acho que ia amar revisitar Harry Potter. Adorei sua lista! Um mês de releituras é uma ideia bem legal, parabéns!

    Beijoos

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Releituras são sempre momentos especiais, pois sempre nos recordamos daquele livro que de certa forma nos marcou e assim sempre ativamos diálogos que antes estavam esquecidos.
    Da sua lista tenho vontade de ler Marian Keyes, tenho um exemplar dessa série e até hoje não fiz minha leitura.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  9. Oi Ivy
    Eu adoro fazer releituras. Esse ano, separei uns dois pra reler, mas nem reli. Tenho muita vontade de ler Os homens que não amavam as mulheres.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir