26.10.18

A Outra sra. Parrish (Liv Constantine)

Ficha Técnica:
Nome Original: The Last Mrs. Parrish 
Autora: Liv Constantine
Tradução: Pete Rissatti
País de Origem: Estados Unidos
Número de Páginas: 432
Ano de Lançamento: 2018
ISBN-13: 9788595082847
Editora: HarperCollins Brasil

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 62º livro lido em 2018 e foi A Outra sra. Parrish (Liv Constantine). Este livro chegou para mim através da parceria com a HarperCollins e antes mesmo de recebê-lo, eu já tinha visto muitas fotos dele no Instagram e todas acompanhadas de muitos elogios, por isso minha expectativa estava altíssima quando comecei a leitura.

O livro nos traz a Amber, a Daphne e o Jackson. Amber é uma mulher de vinte e poucos anos, muito invejosa, cruel e que tem um objetivo na vida: se casar com Jackson, um empresário podre de rico, dono de metade de Nova York e além disso, muito charmoso e bonito. Acontece que o objetivo de vida da Amber tem um detalhe a ser eliminado: Jackson é casado com a Daphne, uma mulher bem diferente da Amber.


Na primeira parte do livro acompanhamos os pensamentos de Amber e a forma como ela planeja se aproximar de Daphne e minar o seu casamento ao mesmo tempo que tentará seduzir Jackson sem medir esforços para isso. Daphne perdeu sua irmã mais nova em função da fibrose cística e agora  tem uma fundação que arrecada fundos para pesquisas sobre a doença e para que o tratamento e a cura de novos afetados pela doença sejam efetivos. Amber se aproxima de Daphne com uma teia de mentiras, contando uma história de perda também e desperta a empatia dela, as duas se tornam amigas. Amber passa a frequentar a casa de Daphne e a conhecer a sua rotina. Ela e Jackson tem duas filhas sendo que a menor é muito problemática e mal criada, mas Amber consegue até despertar a simpatia da menina birrenta, fazendo de tudo para que a família a acolha e minunciosamente, traça e executa seu plano para se livrar de Daphne.

A segunda parte do livro então nos traz uma virada. Como estávamos apenas no ponto de vista da Amber, não sabíamos muito da vida do casal. Daphne nos é apresentada sendo uma mulher de vida privilegiada, afinal é casada com um milionário, mora em uma mansão e pode ter tudo o que quiser. Mas a segunda parte desconstrói esta apresentação e conhecemos sua história de vida e em quais circunstancias ela e Jackson se casam. Da mesma maneira, conhecemos Jackson que até então nos foi passado como um homem perfeito. Profissional de sucesso, marido carinhoso e extremamente apaixonado pela esposa e pai amoroso acima de tudo. Essa virada na narrativa nos pega de surpresa porque na verdade enquanto estávamos sendo ludibriados pela Amber, não vimos que as autoras nos deram muitas pistas da verdadeira realidade daquela família.


A terceira parte então é um golpe final sobre nós leitores, já que na segunda parte do livro, enquanto tentamos entender melhor os personagens, achamos que ele terminará de um jeito, mas o final conseguiu ser ainda mais surpreendente e a sensação de ter sido enganada não pode deixar de ser uma sensação de plena satisfação com a história.

A escrita das autoras é muito fluida e envolvente. Ela descreve lugares e coisas com a mesma precisão que descreve sentimentos e tudo isso sem ser cansativo ou desnecessário porque cada detalhe que o livro contém, é usado de alguma mentira para termos uma visão completa da situação. A escrita consegue nos fazer amar quem deve ser amado e odiar quem deve ser odiado e no meio disso, nos deixar irritados com as crueldades e compadecidos com os sofredores. Do momento que comecei a ler o livro, só tive paz quando a leitura foi concluída porque minha curiosidade era muito grande para saber como seria o desfecho e como disse acima, foi muito bem feito.

Mas me sinto na obrigação de alertar os leitores quanto as cenas gráficas e bem descritas de violência e abuso físico e psicológico na narrativa. Essas cenas estavam repletas de tensão e medo e mesmo sendo muito desconfortáveis, não conseguia parar de ler porque o enredo criou uma crescente tão intensa com os fatos que parar de ler traria uma sensação ainda pior.

Para quem gosta de thriller psicológico, com suspense e reviravoltas bem inseridas na narrativa, este livro traz isso com maestria. Sabemos plenamente quem é quem, mas, ainda assim, suas atitudes nos surpreendem o tempo todo.

Minha expectativa com a leitura era alta, mas, ainda assim, minha satisfação com o livro foi bem além do que eu imaginava e eu fiquei dias pensando nos personagens e na forma rica e completa que eles foram criados. 

Eu adorei.


Um pouco sobre as autoras: LIV CONSTANTINE é o pseudônimo das irmãs Lynne e Valerie Constantine. Separadas por três estados, elas passaram horas e horas fazendo vídeo-chamadas e enchendo a caixa de mensagem uma da outra. Elas atribuem sua habilidade de desenvolver tramas sombrias às horas que passaram ouvindo as histórias da avó grega. A Outra sra. Parrish é o único livro das autoras publicado no Brasil.

2 comentários:

  1. Olá!
    Esse livro me pegou logo nos primeiros capítulos. Achei incrível a forma como as autoras trabalharam o enredo e os personagens. Dá uma angustia nas cenas, mas depois que toda verdade vem a tona deu um certo alívio.
    Um dos melhores thrillers que li esse ano.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Eu não conhecia o livro, nem a autora, mas fiquei curioso agora para saber da trama na íntegra. Adoro thrillers, por isso ao ler a resenha, meu interesse ficou aguçado. Anotei na minha lista.

    ResponderExcluir