Outlander – A Viajante do Tempo (Diana Gabaldon)

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2022

Ficha Técnica:
Nome Original: Outlander
Autor: Diana Gabaldon
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: Geni Hirata
Número de Páginas: 800 
Ano de Lançamento: 2014
ISBN: 9788580416039
Editora: Arqueiro

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 14º livro lido em 2022 e foi Outlander – A Viajante do Tempo (Diana Gabaldon). Comecei a ler este livro pela primeira vez em 2014 quando ele foi relançado no Brasil pela editora Arqueiro. Anteriormente, havia sido publicado pela Rocco e com a estreia da série de TV baseada nos livros, a editora apostou na republicação dos livros. Porém esse meu primeiro contato com o livro não funcionou para mim e eu abandonei antes da página 50. Após ouvir muitos elogios aos livros e a série, decidi dar mais uma chance e desta vez, a leitura fluiu positivamente.

O livro traz a Escócia permeada por mitos, crenças pagãs e influências célticas. Com seus misteriosos círculos de pedra e diversas fontes de poder místico, é um cenário rico em folclore e eventos históricos marcantes a serem explorados. Diz uma lenda escocesa que as famosas pedras espalhadas por toda a Grã-Bretanha são, na verdade, círculos de poder que funcionariam como portais, permitindo que pessoas atravessassem uma linha temporal. Claire Randall, uma enfermeira inglesa vivendo sua segunda lua de mel no pós-guerra de 1945, encontra o monumento de Craigh Na Dun e é transportada para 1743 em meio a uma disputa entre escoceses e ingleses, clãs e tramas políticas.

As quase oitocentas páginas podem ser intimidantes. A autora não poupa minúcias, detalhes e esbanja completo domínio e segurança em sua escrita, com uma riqueza de acontecimentos, tramas secundárias, personagens, locais e costumes. De modo algum o tamanho de seus livros é em vão. Não falta conteúdo, que além de ser inteligente, é maduro e muito bem dividido entre suas partes e capítulos. Sempre há alguma tensão alimentando a história e marcando a evolução dos personagens e da narrativa.

Tanta informação não torna a leitura lenta porque tudo é muito interessante, inclusive o detalhamento nas descrições. A autora escreve com paixão contagiante, de forma limpa, clara e sem meias palavras. Suas cenas de lutas e violência são tão bem escritas quanto as cenas mais românticas, tudo cuidadosamente realista e bem construído, cada situação nos permite vivenciar cada momento, do mais belo ao mais grotesco, junto com as personagens. 

A fama da série está em suas cenas românticas, o que me causou certo receio de iniciar a leitura, porque não sou a maior fã do gênero. No entanto, Outlander me surpreendeu com muito mais do que um casal, mas também uma história de luta e coragem pelas tradições escocesas, a resistência à dominação da Coroa Britânica e inúmeras conspirações políticas, com toda a questão jacobita em pauta, além de uma boa dose de ação. No final das contas, o romance mistura-se a todas as nuances da trama, sem roubar cenas da outra, encaixando-se perfeitamente ao conjunto.

Por falar em romance, Claire e Jaime são dois personagens inesquecíveis. A autora tem um cuidado absurdo na criação de seus personagens, todos cheios de vida e complexidade, com várias camadas de personalidade e histórias pessoais, sempre levando em conta a época, a religião e diversos aspectos como os clãs, as posições sociais, as alianças e lealdades, a honra e o caráter. Mesmo com uma infinidade deles, chegamos ao final do livro relutantes em nos despedir, conhecemos seus nomes e particularidades e não vemos a hora de nos encontrar com eles no próximo volume. 

Meu envolvimento com a narrativa foi rápido e constante e embora eu tenha tido alguns problemas com algumas decisões narrativas da autora, eu amei demais a jornada de leitura que este livro me trouxe. Amei muito e não vejo a hora de ler o próximo volume!

Adorei!


Um pouco sobre a autora:
Escri­tora ame­ri­cana de ascen­dên­cia mexicano-​americana e inglesa. Gabal­don é autora da famosa série Outlan­der. Os seus livros são difí­ceis de cata­lo­gar den­tro de um género espe­cí­fico, pois con­têm ele­men­tos de fic­ção român­tica, fic­ção his­tó­rica e fic­ção cien­tí­fica (sob a forma de via­gens no tempo). Os seus livros já foram publi­ca­dos em 23 paí­ses e tra­du­zi­dos para 19 lín­guas.

Alguns dos seus livros publicados no Brasil:
  • A Viajante do Tempo
  • A Libélula no Âmbar
  • O Resgate no Mar
  • Os Tambores do Outono
  • A Cruz de Fogo
  • Um Sopro de Neve e Cinzas
  • Ecos do Futuro
  • Escrito Com o Sangue do Meu Coração
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ivi Campos

46 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Resenhas

Filmes

Meus Livros

Músicas

Youtube


Arquivos

Twitter

Filmes

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.