TBR Especial de Novembro: Consciência Negra

terça-feira, 2 de novembro de 2021


Oi gente que ama livros, em novembro minha TBR será composta por livros escritos por autores negros e os de ficção, serão com protagonistas negros. Eu precisava fazer isso em novembro? Não, não precisava, mas quis fazê-lo em função do Dia da Consciência Negra, em novembro. A ocasião é dedicada à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A data foi escolhida por coincidir com o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, um dos maiores líderes negros do Brasil que lutou pela libertação do povo contra o sistema escravista. O Dia da Consciência Negra é considerado importante no reconhecimento dos descendentes africanos e da construção da sociedade brasileira. A data, dentre outras coisas, suscita questões sobre racismo, discriminação, igualdade social, inclusão de negros na sociedade e a cultura afro-brasileira, assim como a promoção de fóruns, debates e outras atividades que valorizam a cultura africana.

Sendo assim, vamos conferir o que pretendo ler em novembro?

Olhos d’agua (Conceição Evaristo)
Sinopse: Em Olhos d’água, Conceição Evaristo ajusta o foco de seu interesse na população afro-brasileira abordando, sem meias palavras, a pobreza e a violência urbana que a acometem. Sem sentimentalismos, mas sempre incorporando a tessitura poética à ficção, seus contos apresentam uma significativa galeria de mulheres: Ana Davenga, a mendiga Duzu-Querença, Natalina, Luamanda, Cida, a menina Zaíta. Ou serão todas a mesma mulher, captada e recriada no caleidoscópio da literatura em variados instantâneos da vida? Elas diferem em idade e em conjunturas de experiências, mas compartilham da mesma vida de ferro, equilibrando-se na frágil vara que, lemos no conto O cooper de Cida, é a corda bamba do tempo. Em Olhos d’água estão presentes mães, muitas mães. E também filhas, avós, amantes, homens e mulheres – todos evocados em seus vínculos e dilemas sociais, sexuais, existenciais, numa pluralidade e vulnerabilidade que constituem a humana condição. Sem quaisquer idealizações, são aqui recriadas com firmeza e talento as duras condições enfrentadas pela comunidade afro-brasileira. 

Pequeno manual antirracista (Djamila Ribeiro)
Sinopse: Neste pequeno manual, a filósofa e ativista Djamila Ribeiro trata de temas como atualidade do racismo, negritude, branquitude, violência racial, cultura, desejos e afetos. Em dez capítulos curtos e contundentes, a autora apresenta caminhos de reflexão para aqueles que queiram aprofundar sua percepção sobre discriminações racistas estruturais e assumir a responsabilidade pela transformação do estado das coisas. Já há muitos anos se solidifica a percepção de que o racismo está arraigado em nossa sociedade, criando desigualdades e abismos sociais: trata-se de um sistema de opressão que nega direitos, e não um simples ato de vontade de um sujeito. Reconhecer as raízes e o impacto do racismo pode ser paralisante. Afinal, como enfrentar um monstro desse tamanho? Djamila Ribeiro argumenta que a prática antirracista é urgente e se dá nas atitudes mais cotidianas. E mais ainda: é uma luta de todas e todos.



Na Minha Pele (Lázaro Ramos)
Sinopse: Movido pelo desejo de viver num mundo em que a pluralidade cultural, racial, étnica e social seja vista como um valor positivo, e não uma ameaça, Lázaro Ramos divide com o leitor suas reflexões sobre temas como ações afirmativas, gênero, família, empoderamento, afetividade e discriminação. Ainda que não seja uma biografia, em Na minha pele, Lázaro compartilha episódios íntimos de sua vida e também suas dúvidas, descobertas e conquistas. Ao rejeitar qualquer tipo de segregação ou radicalismos, Lázaro nos fala da importância do diálogo. Não se pode abraçar a diferença pela diferença, mas lutar pela sua aceitação num mundo ainda tão cheio de preconceitos. Um livro sincero e revelador, que propõe uma mudança de conduta e nos convoca a ser mais vigilantes e atentos ao outro.





Pele Negra, Máscaras Brancas (Frantz Fanon)
Sinopse: Primeiro livro de Frantz Fanon, Pele Negra, Máscaras Brancas é um dos textos mais influentes dos movimentos de luta antirracista desde sua publicação, em 1952. Logo de início, se apresenta como uma interpretação psicanalítica da questão negra, tendo como motivação explícita desalienar pessoas negras do complexo de inferioridade que a sociedade branca lhes incute desde a infância. Assim, descortina os mecanismos pelos quais a sociedade colonialista instaura, para além da disparidade econômica e social, a interiorização de uma inferioridade associada à cor da pele – o que o autor chama de epidermização da inferioridade. Não se compreende a questão negra fora da relação negro-branco. Com erudição, Fanon articula conceitos da filosofia, psicanálise, psiquiatria e antropologia e autores como Hegel, Sartre, Lacan, Freud e Aimé Cesaire (referência literária, intelectual e política que perpassa toda a obra), numa notável linguagem poética, que nos conduz a uma reflexão sobre sua relação com o tema. Um dos principais efeitos da leitura da obra – diz o professor e pesquisador Deivison Faustino no posfácio a esta edição – é fazer leitores e leitoras se descobrirem, seja em sua vulnerabilidade e desamparo, seja angustiados sob a consciência de seus pecados ou ainda como demônios que impõem sofrimento e dominação a outros, mesmo que a princípio se vejam como anjos. Em um momento de ampliação da luta antirracista e conscientização e incorporação de brancas e brancos a essa luta, este livro continua sendo transformador, em busca de uma sociedade realmente livre e igualitária. A edição da Ubu conta com prefácio de Grada Kilomba e posfácio do especialista em Fanon Deivison Faustino. Textos escritos especialmente para a edição da Ubu. O livro traz ainda textos do intelectual e ativista Francis Jeanson, do filósofo e professor de Harvard Homi K. Bhabha e do historiador Paul Gilroy. Tradução de Sebastião Nascimento, com colaboração de Raquel Camargo.

O avesso da Pele (Jeferson Tenório)
Sinopse: Um romance sobre identidade e as complexas relações raciais, sobre violência e negritude, O avesso da pele é uma obra contundente no panorama da nova ficção literária brasileira. O avesso da pele é a história de Pedro, que, após a morte do pai, assassinado numa desastrosa abordagem policial, sai em busca de resgatar o passado da família e refazer os caminhos paternos. Com uma narrativa sensível e por vezes brutal, Jeferson Tenório traz à superfície um país marcado pelo racismo e por um sistema educacional falido, e um denso relato sobre as relações entre pais e filhos. O que está em jogo é a vida de um homem abalado pelas inevitáveis fraturas existenciais da sua condição de negro em um país racista, um processo de dor, de acerto de contas, mas também de redenção, superação e liberdade. Com habilidade incomum para conceber e estruturar personagens e de lidar com as complexidades e pequenas tragédias das relações familiares, Jeferson Tenório se consolida como uma das vozes mais potentes e estilisticamente corajosas da literatura brasileira contemporânea.

Por que eu não converso mais com pessoas brancas sobre raça (Reni Eddo-Lodge)
Sinopse: Em 2014, a renomada jornalista Reni Eddo-Lodge escreveu sobre sua frustração com a forma como as discussões sobre raça e racismo na Grã-Bretanha estavam sendo conduzidas por aqueles que não foram afetados por ela. Ela postou uma peça em seu blog intitulada "Por que não falo mais sobre pessoas brancas sobre raça". Suas palavras atingiram um nervo. O post foi viral e comentários inundaram de outros desesperados para falar sobre suas próprias experiências. Galvanizada por essa clara fome de discussão aberta, ela decidiu se aprofundar na fonte desses sentimentos. Explorando questões da história negra erradicada para o propósito político do domínio branco, feminismo branqueado para a ligação inextricável entre classe e raça, Reni Eddo-Lodge oferece uma nova estrutura oportuna e essencial para a forma de ver, reconhecer e combater o racismo. É uma exploração esclarecedora, absolutamente necessária do que é ser uma pessoa de cor na Grã-Bretanha hoje.

Cartas para Martin (Nic Stone)
Sinopse: Justyce McAllister é um garoto de dezessete anos com um futuro brilhante pela frente. É um dos melhores alunos de uma prestigiada escola de Atlanta, tem uma mãe amorosa e um melhor amigo incrível. No entanto, um episódio de violência policial traz à tona que a distância entre ele e seu futuro é quase um abismo. Porque Justyce McAllister é negro, e isso significa que, muitas vezes, é julgado pela cor de sua pele. Ao ser agredido e detido injustamente, o olhar de Justyce desperta para um novo mundo, um lugar solitário em uma sociedade que insiste em vê-lo como ameaça ou como promessa de fracasso. Ele se dá conta, então, de que não pode mais fingir que não tem nada errado e decide iniciar um projeto: escrever cartas para Martin Luther King Jr., um dos mais importantes ativistas políticos pelos direitos dos negros, símbolo da luta contra a segregação racial nos Estados Unidos, morto em 1968. Ao tentar aplicar os ensinamentos de Luther King em sua vida, Justyce começa a trilhar um caminho para entender não só como deve reagir diante das injustiças, mas que tipo de pessoa ele quer ser. Em meio a questões familiares, desentendimentos com os amigos e complicações da vida amorosa, nas cartas ele expõe suas dúvidas, sua angústia, sua revolta e a percepção clara de que a sociedade não é tão igualitária quanto deveria. No livro de estreia de Nic Stone, vemos Justyce passar pelos desafios da adolescência, amadurecer e encarar o racismo que tanto afeta sua existência. Comovente e extremamente necessário, Cartas para Martin é um relato sobre ser um jovem negro e sobre o direito inalienável de existir. Um livro impossível de ignorar.

Racismo Estrutural (Silvio Almeida)
Sinopse: Nos anos 1970, Kwame Turu e Charles Hamilton, no livro "Black Power", apresentaram pela primeira vez o conceito de racismo institucional: muito mais do que a ação de indivíduos com motivações pessoais, o racismo está infiltrado nas instituições e na cultura, gerando condições deficitárias a priori para boa parte da população. É a partir desse conceito que o autor Silvio Almeida apresenta dados estatísticos e discute como o racismo está na estrutura social, política e econômica da sociedade brasileira.









Renascida Pelo Amor (Vivy Keury)
Sinopse: O que você faria se perdesse não só um, mas os dois maiores amores que a vida poderia ter lhe presenteado? Seria capaz de se reerguer e seguir em frente? Sabemos perfeitamente bem que uma dor jamais poderá substituir outra. E um amor? Seria possível? Larissa sabia exatamente a resposta para tais questionamentos e há alguns meses convivia com isso. Sua juventude foi regada por sonhos e realizações. Teve sua tão sonhada primeira vez com o homem da sua vida, assim como o casamento perfeito. Entretanto, tudo foi arrancado de sua vida em um piscar de olhos; algo pelo qual jamais imaginou passar. De um dia para o outro, Larissa se viu sem rumo, sem perspectivas e sem razões para viver. Ela apenas sobrevivia dia após dia. Obviamente que um amor não substitui outro, mas um novo pode ser construído.

Teoricamente Princesa (Alyssa Cole)
Sinopse: Da aclamada autora Alyssa Cole, a história de uma Cinderela da cidade grande e seu príncipe encantado disfarçado de plebeu. Dividida entre a pós-graduação e os vários empregos, Naledi Smith não tem tempo para contos de fadas... Ou paciência para os e-mails constantes alegando que ela está noiva de um príncipe africano. Certo. Ok. Excluir! Filha adotiva, ela aprendeu que as únicas coisas em que pode confiar são ela mesma e o método científico e um e-mail idiota não a convencerá do contrário. O príncipe Thabiso é o único herdeiro do trono de Thesolo, concentrando as expectativas de seus pais e seu povo. Seu casamento está no topo da lista de prioridades do reino. Sempre obediente, ele localiza sua noiva desaparecida. Quando Naledi confunde o príncipe com um plebeu qualquer, Thabiso não resiste à chance de experimentar a vida – e o amor – sem o peso de sua coroa. A química entre eles é instantânea e irresistível e a amizade sedutora rapidamente se transforma em noites apaixonadas. Mas quando a verdade é revelada, uma suposta princesa pode se tornar uma princesa para sempre?

Daqui Pra Baixo (Jason Reynolds)
Sinopse: Will perdeu o irmão para a violência. Agora, precisa enfrentar sua realidade e descobrir se a vingança é capaz de aplacar sua dor. Aos 15 anos, Will conhece intimamente a violência. Ela está à espreita no dia a dia de seu bairro, nos avisos para que não volte tarde para casa, nos sussurros dos vizinhos sobre mais uma pessoa que foi morta. Dessa vez, os sussurros são sobre seu irmão mais velho. Shawn foi assassinado na rua onde a família mora. Contado do ponto de vista de Will, Daqui pra Baixo é uma narrativa ágil que se passa em pouco mais de um minuto — o tempo que o elevador do prédio leva para chegar ao térreo. Esse é o tempo que Will tem para descobrir se vai seguir as regras de sua comunidade ou se é possível não perpetuar o ciclo de violência. A regra número 1 é não chorar. A número 2, nunca dedurar alguém. A terceira, a crucial: se fazem algo com você ou com os seus, é preciso se vingar. A curta trajetória do elevador é ritmada pelas paradas em cada andar e por aqueles que aos poucos ocupam a cabine e os pensamentos de Will. Cada rosto tem uma história de vida e de morte. Will, em questão de segundos, vai definir a dele. Originalmente escrito em prosa, depois em verso, Daqui Pra Baixo faz a emoção — a confusão, a revolta, o medo — de um garoto armado que sai para vingar o irmão crescer também no peito de quem lê. Um livro impossível de ignorar.

O Casamento (Tayana Alvez)
Sinopse: Eu e Robert tínhamos um dialogo super aberto, até não termos mais. O fantasma que Robert insiste em carregar e as cicatrizes que eu não consigo apagar deixaram todo o nosso amor em segundo em segundo plano… A intimidade e proximidade que construímos diminui a cada dia que passamos juntos, irônico, não? E tudo o que ainda escondemos, muito mais de nós mesmos do que um do outro, tem tornado essa distância intransponível. Mas vai ficar tudo bem, certo? Nós nos amamos e só precisamos passar por isso agora, pelo menos é o que Robert sempre diz.









Eu Quero Mais (Tayana Alvez)
Sinopse: Aos dezenove anos Elizabeth se mudou do interior do Rio de Janeiro para a capital de São Paulo com a intenção de conseguir seu diploma de Jornalista e trabalhar com o que sempre sonhou, rádio. Deixar para trás a estabilidade e segurança da casa dos pais a assustou, mas com o apoio do melhor amigo – Joaquim Hernandez – ela decidiu lutar para conquistar o que sempre quis. No primeiro dia de aula, Elizabeth conhece Breno e o riso fácil, o sotaque arrastado e as covinhas encantadoras dele fazem com que ela se sinta bem recebida em meio ao total desconhecido. Pouco tempo é necessário para que ela encontre nessa amizade a possibilidade de finalmente pertencer a algum lugar, já que todas as vezes que ela sorri com as surpresas de São Paulo, Breno sorri de volta como quem quer apresentá-la a cada pedacinho desse mundo novo. Ainda assim, seu coração não consegue esquecer o amor que lhe roubou o chão, muitos anos atrás. Em meio a hostilidade de um ambiente elitista, novas amizades, relacionamentos tóxicos, dores do passado e um amor surpreendente, ainda existe uma questão a ser respondida: Será que existe algo que o amor não pode superar? Uma leitura diferente de todos os romances que já cruzaram o meu caminho. (...) Real, humano, desafiador e apaixonante. Um livro de estreia que enche de orgulho quem acompanha a Literatura Nacional. Uma leitura que nos obriga a valorizar nossa felicidade, sem pensar muito no futuro. Um romance que nos exige uma resposta para os afetos, sem adiar os sonhos. Lizzie sabe que tudo dependerá de suas escolhas.

Proibida Pra Mim (Tayana Alves)
Sinopse: Você já imaginou ser uma mulher forte, independente, decidida e ainda assim se envolver numa relação com um boy nada a ver para agradar seus pais? Pois, é. Lavínia Loviz fez isso.
Contudo, o resultado foi um belíssimo chifre em plena Nova Iorque!!! Que ela decidiu superar… Com um cara que é o tipo dela: Daniel Melo. Mais velho, atencioso, gentil e um grandessíssimo gostoso, com quem Lavínia passa um fim de semana intenso e quente. De volta ao Brasil, Lavínia não esperava dar de cara com Daniel novamente, e, com certeza, não esperava encontrá-lo no dia que fosse apresentada ao pai da sua melhor amiga. 








Estou bem ousada em colocar 14 livros para ler em um único mês? Claro!! Mas acredito que lerei todos porque parte destas escolhas, tem menos de 200 páginas. Enfim, essa é minha lista de livros para ler em novembro e eu estou muito animada!!!

Vai fazer uma TBR temática em novembro? Conta para mim nos comentários o que você pretende ler, vou adorar conferir.

Beijos 
Comentários
3 Comentários

3 comentários :

  1. Oi Ivi, tudo bem?
    Adorei a sua TBR! Acho perfeito trazer histórias com representatividade no mês de novembro. E livros também de não ficção para debater o racismo e contribuir para a conscientização. Lá no blog a Duda já leu Teoricamente Princesa e gostou muito. Tomara que você consiga ler todos que planejou e que goste deles também.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ivi!
    Amei sua TBR, adoro a VIvy Keury leio muito seus livros, mas esse ainda não conhecia, mas vou remediar kkk, falando sobre a representação neste mês sobre a Consciência Negra não deveria ser um dia só se não tivesse racismo, a deficiência em algumas pessoas faz existir essa discriminação e é um mau a sociedade de modo geral.
    Mas falando desses livros maravilhosos que citou, mesmo que não consiga ler esse mês vou anotar todos aqui, quero ler pois fiquei curiosa sobre os enredos. Parabéns e obrigado, bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bem? Uau! Sua TBR está gigante hein... sou de lua as vezes faço, as vezes não. Mas sempre tem alguns títulos que vou incluindo ao longo do mês. Dos que você selecionou não conheço nenhum mas já anotei algumas dicas. Que você faça ótimas leituras! Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir

Ivi Campos

45 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Resenhas

Meus Livros

Músicas

Youtube


Arquivos

Filmes

Twitter

Filmes

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.