6.8.19

Mister (E L James)

Ficha Técnica:
Nome Original: The Mister
Autora: E. L. James
País de Origem: Inglaterra
Tradução: Cassia Zanon, Catharina Pinheiro, Maria Carmelita Dias e Julia Sobral Campos
Número de Páginas: 432
Ano de Lançamento: 2019
ISBN: 978-85-510-0516-3             
Editora: Intrínseca

Depois do polêmico sucesso da autora com a série Cinquenta Tons, fiquei curiosa para conhecer seu novo livro e como conferir seriam seus personagens fora do universo de Christian Grey.

Mister tem narração alternada: começa com Maxim, solteirão disposto a aproveitar a vida, mas os planos mudam depois que ele assume a posição de conde após a morte do irmão Kit, pois não se vê preparado para as responsabilidades do título. Há uma atitude de Maxim logo nas primeiras páginas que me pareceu absurda e desnecessária.

A outra narradora é Alessia, albanesa e diarista na casa de Maxim. Como era totalmente previsível, Maxim se sente atraído por ela e os dois se envolvem, porém, ambos escondem segredos e fatos importantes do outro. Os dois também tem coisas em comum, como o fato de Maxim compor ao piano e Alessia amar tocar nesse instrumento, afirmando inclusive que consegue ver cores em cada nota executada. Um ponto positivo do livro é o fato de Alessia ser natural da Albânia (não lembro de nenhum personagem do país), são mencionados costumes e lugares com direito a descrições detalhadas, além de expressões no idioma albanês.

Como personagens secundários, a mãe a irmã de Maxim são mencionadas, sem muita importância para o desenvolvimento da história. Carolina (esposa de Kit) é a única que ganha destaque no início da trama e pode afetar os planos de Maxim. Por outro lado, uma amiga de Alessia demonstra preocupação e carinho por ela a todo momento.

O desenvolvimento do livro é bem previsível, casal típico nesse tipo de romance (Maxim como homem poderoso e traumatizado; Alessia como mulher simples e humilde que se surpreende por atraí-lo). Os segredos dela trazem temas que poderiam ter sido melhor explorados, porém, a forma que a autora os soluciona me causou espanto, quase que incentivando a desrespeitar leis e procedimentos do país.

Se o desenvolvimento já me pareceu forçado, o final foi praticamente uma cena de novela de época. Mesmo considerando as diferenças de costumes entre a Inglaterra e a Albânia, Alessia poderia ter tomado outra atitude e tornado o desfecho de acordo com uma história lançada em 2019.       

Na minha opinião, a autora tentou mostrar com este livro um protagonista que se importa com a parceira e faz com que ela tome as decisões para diminuir a polêmica de Cinquenta Tons, mas faz o leitor lembrar da série por vários aspectos, como por um dos sobrenomes de Maxim ser Trevelyan (o mesmo de Grey), ele ter traumas familiares e inclusive um quarto “secreto”.

Esperava mais, a história me pareceu “forçada” em diversos aspectos e não me convenceu.


Um pouco sobre a autora: E L James é ex-executiva de TV e mora em Londres. Casada e com dois filhos, sempre sonhou em escrever histórias pelas quais os leitores se apaixonassem. Sua estreia na literatura, a trilogia Cinquenta tons de cinza, se tornou o maior fenômeno editorial dos últimos anos. Seus livros publicados no Brasil são:
- Cinquenta Tons de Cinza
- Cinquenta Tons Mais Escuros
- Cinquenta Tons de Liberdade
- Grey
- Mais Escuro
- Mister

Nenhum comentário:

Postar um comentário