Os Imortalistas (Chloe Benjamin)

quarta-feira, 10 de outubro de 2018


Ficha Técnica:
Nome Original: The Imortalists
Autora: Chloe Benjamin
Tradução:
País de Origem: Estados Unidos
Número de Páginas: 331
Ano de Lançamento: 2018
ISBN-13: 9788595082779
Editora: HarperCollins Brasil

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 56º livro lido em 2018 e foi Os Imortalistas (Chloe Benjamin). O livro chegou para mim através da parceria com a HarperCollins e eu fiquei maravilhada com o capricho da edição luxuosa que o livro ganhou. Com acabamento em capa dura e folhas internas mais grossas que o tradicional, o livro ganhou meus olhos antes de ganhar meu coração.

A narrativa nos traz quatro irmãos, Simon, Klara, Daniel e Varya que na infância procuram uma vidente e essa mulher misteriosa diz com certeza a data em que cada um deles morrerá. Como eles ainda são muito jovens e inocentes, não dão crédito aquela profecia e imaginam que seguirão suas vidas sem se deixar influenciar pelo tempo que hipoteticamente eles ainda tem para viver.

Então o livro se desenvolve com a trajetória de vida de cada um deles e é aqui que se encontra o charme e a originalidade desta trama. Nós leitores não sabemos a data exata que cada um deles ouviu da vidente e por isso imaginamos que a morte de cada personagem pode acontecer no parágrafo seguinte, já que alguns começam a viver suas vidas de forma imprudente, talvez consumidos pela própria sede de aventuras e talvez porque querem experimentar de tudo, pois acreditam que o fim está próximo.


Simon é o personagem que abre as narrativas pessoais. Ele e Klara fogem da família e vão viver em São Francisco no início dos anos 80. As referências a esta época são bem interessantes, não apenas em relação a cultura pop em questão, mas também como a aquela época foi marcada por situações irreversíveis. Simon é carismático, apaixonado, bom amigo e ainda que muito inconsequente, é impossível não amá-lo do início ao fim.


Depois temos Klara que traz um discurso feminista que sempre me agrada e que é a melhor amiga de Simon para o que ele precisar. Essa cumplicidade estabelecida entre os dois irmãos fica muito bem marcada nas decisões dela, embora acompanhamos os sinais claros de uma possível depressão quando ela se torna independente de tudo. Klara foi a personagem que menos me conectei, mas, ainda assim, adorei seus argumentos e sua maneira de ver a vida.


Temos então o Daniel, o mais tradicional de todos eles. Muito patriota e engajado em questões políticas, sem atuar, mas defendendo determinadas posturas. A parte do Daniel é recheada de discussões pertinentes e a autora usou o personagem para que o leitor pudesse refletir sobre várias situações mundiais.

E para finalizar temos Varya, minha personagem favorita. Inteligente, articulada, comprometida com sua profissão – cientista – ela estuda a longevidade e o que pode levar um ser humano a viver bem por muitos anos. Seus dramas pessoais, bem como seu afastamento dos outros irmãos é emocionante e foi a personagem com quem mais me envolvi e me identifiquei. Eu acredito que não foi à toa que a autora a deixou por último, com a intenção de deixar o leitor saudoso após concluir a leitura.

Enfim, foi um livro que me surpreendeu bastante. A princípio, eu imaginei que se tratasse de uma fantasia ou algo sobrenatural, mas temos aqui quatro personagens bem desenvolvidos, com arcos próprios e motivações muito individuais. Histórias comuns que poderiam acontecer comigo, com você ou com alguém que conhecemos, mas que foram desenvolvidas dentro de um enredo que tinha como mote central a expectativa da própria morte.

O livro tem uma narrativa muito fluida e envolvente, com descrições de situações e lugares minuciosas, mas não cansativas. O livro fala sobre vida e morte e sobre o que fazemos entre uma coisa e outra. É reflexivo, intenso, melancólico e inesquecível. Eu adorei a história e me envolvi facilmente e agora ao escrever esta resenha, me encontro com saudade dos quatro irmãos que eram tão comuns e críveis que poderiam fazer parte do meu círculo de amigos.


Recomendo a leitura para quem gosta de narrativas fluidas, mas intensas. Que nos fazem pensar em temas sérios da vida, com uma linguagem acessível, usando histórias fáceis e triviais. O livro é original, bem escrito e eu quero ler mais coisas da autora, porque fiquei bastante impressionada com sua criatividade.

Eu adorei.


Um pouco sobre a autora: Chloe Benjamin é uma das autoras mais vendidas nos Estados Unidos. Seu primeiro romance, recebeu o prêmio Edna Ferber Fiction Book Award e foi listado há muito tempo para o Primeiro Prêmio de Romance do Centro de Ficção de 2014. Seu trabalho foi traduzido em trinta idiomas. Originalmente de San Francisco, CA. Chloe é graduada pela Vassar College e pela M.F.A. na ficção na Universidade de Wisconsin. Ela mora com o marido em Madison, WI. Os Imortalistas é o seu único livro publicado no Brasil.

Comentários
5 Comentários

5 comentários :

  1. Oi, Ivi! Ai menina, quero tanto ler esse livro (e perdi uma promoção dele na Amazon, quero me estapear pela burrice)! A proposta do enredo me parece muito boa mesmo e pela sua resenha e de algumas outras, dá para perceber que a reflexão sobre a morte e como nos comportamos/o que escolhemos em vida é muito bem trabalhado. E é muito bom quando os personagens são tão críveis que nos fazem sentir saudade quando a leitura termina né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ivi!
    Adorei a sua resenha, eu estou curiosa com esse livro há algum tempo e adorei poder conhecer um pouco mais sobre a trama dele através da tua resenha. Gostei bastante de ver seus comentários a respeito do livro e saber que a narrativa é tão fluída me anima ainda mais. Eu adicionei à minha lista e espero muito que até o final do ano eu consiga comprá-lo.

    ResponderExcluir
  3. Oi Ivi, tudo bem? Uma colaboradora quem acabou lendo esse livro e ela também amou demais essa leitura, parece algo transformador pelo jeito, fiquei super curiosa. Inicialmente eu também achei que a história fosse mais para a fantasia, doce engano haha.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Estou bem curiosa com essa leitura, principalmente pela forma como a autora traz os personagens e com um enredo com doses de veracidade. Essa realidade muitas vezes me prende bastante na leitura.
    Fiquei curiosa com o destino final de cada uma dessas quatro pessoas.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Olá Ivi!!!
    Já adorei pela editora ter todo um cuidado e trazer uma edição lindíssima do livro *-*
    Em questão das personagens me deparei gostando da segunda irmã pelo lado dela feminista em si, pois adoro esse lado nas personagens. Outra coisa, adorei não sabermos as datas que esses personagens virão a falecer pois ficamos na expectativa que a qualquer momento isso realmente vá acontecer.
    Adorei a resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Ivi Campos

45 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Resenhas

Meus Livros

Músicas

Youtube


Arquivos

Filmes

Twitter

Filmes

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.