Cidade nas Nuvens (Anthony Doerr)

quinta-feira, 8 de setembro de 2022

Ficha Técnica:

Nome Original: Cloud Cuckoo Land
Autor: Anthony Doerr
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: Marcello Lino
Número de Páginas: 754
Ano de Lançamento: 2022
ISBN13: 9781982168438
Editora: Intrísenca
SKOOB | GOODREADS | Compre na AMAZON 

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 59º livro lido em 2022 e foi Cidade nas Nuvens (Anthony Doerr). Minha primeira experiência com o autor foi excelente através do livro Toda Luz que Não Podemos Ver, ganhador do prêmio Pulitzer em 2014, logo, minha curiosidade para ler seu novo lançamento no Brasil era imensa.

O valor que o autor confere ao aprendizado é tamanho que Cidade nas Nuvens é dedicado a uma categoria encarregada de preservar a sabedoria humana: os bibliotecários. Isso é personificado no romance nas referências que amarram a trajetória dos personagens em momentos históricos distintos que não são apresentados de forma linear – os capítulos dão saltos no tempo e são como peças de um quebra-cabeça.


A primeira figura apresentada é Konstance, menina de 14 anos que nunca colocou os pés na Terra, pois vive em uma nave estelar, alimentando-se de comida em pó e auxiliada por uma máquina de inteligência artificial chamada Sybil, que armazena todo o conhecimento humano. Estamos em 2146 e a aeronave Argos segue em busca de uma nova casa. Filha de um jardineiro que cultiva plantas frescas na viagem, Konstance arruma pedaços de papel com cuidado, em cujas anotações   busca preservar uma história contada por seu pai e criada pelo filósofo grego Antônio Diógenes, provavelmente no século 1 d.C.

Éton é um homem que deseja ser transformado em pássaro e voar até um paraíso utópico no céu chamado Cuconuvolândia. Se Diógenes realmente existiu e o esquisito nome do sonhado local é inspirado em uma citação de As Aves, de Aristófanes, a amarração de tudo é fruto da imaginação de Doerr: é o fictício mito de Éton que faz o romance dar um salto no tempo e recuar até 1453.

Naquele tempo, em Constantinopla e graças à sua paixão por livros e bibliotecas, Anna, uma órfã de 13 anos descobre a figura de Éton, cuja história conta para a irmã adoentada. No próximo capítulo, o leitor se descobre na década de 1950, no Estado americano de Idaho, onde Zeno Ninis lutará na Guerra da Coreia. Capturado, consegue sobreviver e traduz o manuscrito de Diógenes.


Décadas depois, o ex-combatente que trabalha na biblioteca de sua cidade, Lakeport, ajuda um grupo de alunos a encenar uma peça de teatro, chamada Cuconuvolândia. O ano é 2020 e Seymour, um ecoterrorista, quer explodir uma bomba na biblioteca - como acredita que está vazia, pretende danificar os escritórios de uma incorporadora imobiliária vizinha. O problema é que o grupo está lá, ensaiando a peça com Zeno.

Em Cidade nas Nuvens, o escritor combina pesquisa e imaginação e, embora não revele uma visão utópica e otimista, também não é cínico, derrotista ou destruidor - busca o equilíbrio. Além da importância do conhecimento para a manutenção do ser humano, Doerr aponta ainda para a ameaça da destruição do planeta provocada pelo aquecimento global - não à toa, a nave que carrega Konstance busca um hábitat mais seguro e viável.  O autor nos ensina através de uma fantasia que estamos conectados historicamente aos nossos ancestrais, mas também por meio das nossas relações atuais. Basta notar que alguma alteração mais substancial no clima de Connecticut, por exemplo, pode afetar o de Goiás. Espécies animais estão desaparecendo, a pandemia atual pode ter sido provocada pela destruição ambiental. Como escritor, Doerr acredita ter o dever de refletir sobre isso e convidar o leitor a refletir com ele.


Apesar do tamanho intimidador, o livro é uma jornada lúdica muito bem desenvolvida, atraente e que me proporcionou uma leitura maravilhosa.

Eu adorei!


Um pouco sobre o autor:
Anthony Doerr foi finalista do National Book Awards em 2014 com Toda luz que não podemos ver, seu segundo romance publicado. Best-seller do The New York Times, o livro foi eleito um dos melhores do ano por veículos como The Guardian, Entertainment Weekly e Kirkus Reviews. Formado em história, Doerr é também autor premiado de dois livros de contos e um de memórias. Criado em Cleveland, atualmente mora em Boise, Idaho, com a esposa e dois filhos.

Seus livros publicados no Brasil são:
  • CIDADE NAS NUVENS
  • QUATRO ESTAÇÕES EM ROMA
  • TODA LUZ QUE NÃO PODEMOS VER
  • VOLTA AO MUNDO
  • COMO O CÉREBRO CRIA
  • TRILHA SONORA PARA O FIM DOS TEMPOS
  • UMA CONSTELAÇÃO DE FENÔMENOS VITAIS
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ivi Campos

46 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Resenhas

Filmes

Meus Livros

Músicas

Youtube


Arquivos

Twitter

Filmes

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.