6

Encerramento da 4ª edição do TURNÊ VIRTUAL


Olá! Chegamos ao final da quarta edição da Turnê Virtual. Nela, vocês puderam conhecer a obras:
  •  Ninfetâmina, da autora Kaah Araújo.
  • Demônios Não Choram, do autor Samuel Cardeal.
Além da participação especial do livro Terras Metálicas, do autor Renato C. Nonato.

Confira as resenhas postadas pelos blogs participantes: 
Interessou-se pelos livros? Para o encerramento deste evento literário virtual, preparamos uma entrevista especial com os autores Kaah Araújo e Samuel Cardeal! Que tal conhecer um pouco mais sobre cada um deles e suas obras?
 
ENTREVISTA
 
 
1.      Do seu livro, qual personagem foi mais marcante para você? Por quê?

[Kaah Araújo] Stephnay. Acredito por ela ser a protagonista, tudo cerca ela, nada escapa. Vivo a vida de Steph como se fosse a minha vida, tento armar funções que tirem-na de diversas situações que eu mesma crio. Isso torna as coisas competitivas entre eu e eu mesma.
 
[Samuel Cardeal] Ezequiel é o protagonista, o mais importante, mas tem um personagem que gosto muito, o Alfredo. Porque, pensando bem, sua personalidade tem um pouco (ou talvez nem tão pouco) de mim, e, mesmo que ele não esteja do lado dos “mocinhos”, ele tem um bom espírito.

2.      Enquanto escrevia seu livro, você encontrou inspiração em músicas, filmes, autores...? Poderia citar alguns exemplos?

[Kaah Araújo] Encontrei em músicas, principalmente rock. Muitas vezes torno as músicas temas. Elas determinam cada fase emocional do personagem, me inspiram, mas costumo ouvi-las antes de digitar o capítulo.
 
[Samuel Cardeal] As minhas maiores inspirações estão, com certeza, no cinema. Há inúmeras referências diretas e indiretas ao longo da história. Além da série Sobrenatural, que é uma das minhas prediletas, há traços de muitos filmes. Que tal uma listinha?

· Anjos Rebeldes (1995);
· Constantine (2005);
· O Poderoso Chefão (1972) [também o livro, que é fantástico];
· O Livro de Eli (2010);
· O exorcista (1973);
· Resident Evil (Todos os filmes) [sei que muita gente odeia];
· O Iluminado (1980);
· Missão Impossível (Todos os filmes);
· Todo Poderoso (2003) [é sério!];
· Stigmata (1999);
· O fim dos dias (1999);
· Etc...

Claro que há inspiração em outros livros, mas, em virtude da minha formação cultural, o cinema ainda é mais presente.
 
3. Qual é a mensagem que deseja transmitir aos seus leitores por meio do seu livro?

[Kaah Araújo] Quero muitooooooooooooooooo, (risos), de coração mesmo que cada um possa aproveitar ao máximo, devorar cada página! Sentir, ouvir, chorar, se emocionar com Ninfetâmina, e, assim como eu, se apaixonar pela história! 
 
[Samuel Cardeal] Antes de qualquer coisa, minha intenção com o livro é trazer uma história que prenda a atenção e que agrade, ou seja, entreter. Se o leitor tiver isso, minha missão está cumprida. Claro que eu abordo diversos temas na história, como homofobia, suicídio, solidão, vingança, perdão, alcoolismo. Então, se algum leitor conseguir extrair qualquer tipo de reflexão referente a esses temas, é lucro.
 
4. Há alguma produção na qual esteja trabalhando neste momento? Teremos futuras publicações de sua autoria?

[Kaah Araújo] Sim! Estou trabalhando em “O Representante -  Você vai pensar mil vezes antes de marcar a data do seu casamento!”, na verdade a obra foi um sonho muito estranho que tive recentemente e que agora está ganhando páginas! Quem sabe torne-se a minha próxima publicação para 2014? É o que espero! E, em seguida, dar continuidade em Despertar que é o segundo livro da saga Ninfetâmina.
 
5. [Blog Meu Amor Pelos Livros] Explique porque os personagens principais tem nome bíblico? Qual a relação disto para com toda a abordagem do livro?
 
[Samuel Cardeal] Procurei utilizar nomes bíblicos por que achei que casava com o contexto, no entanto, não os personagens não tem relação direta com seus homônimos bíblicos. No meu próximo livro, “Um Cântico de Silêncio”, já me preocupei no significado dos nomes em relação à personalidade e história dos personagens.
 
5. [Blog Café com Livro] Como eu disse no meu review, o nome do seu livro me lembrou o jogo Devil may Cry, assim como Ezequiel me lembrou Dante, protagonista da última versão lançado do jogo. Você utilizou o game como uma das formas de inspiração?
 
[Samuel cardeal] O nome tem, sim, influência direta do jogo, porém, eu nunca joguei, e cheguei a assistir apenas o primeiro episódio do anime. Sempre achei o nome “Devil May Cry” muito sonoro, por isso foi natural escolher um nome parecido. No entanto, apesar de algumas pessoas já terem dito isso, o nome não é igual, pois  significado da tradução é diferente do título do livro.
Quanto à personalidade do personagem, qualquer semelhança é mera coincidência, pois sei muito pouco sobre a história do jogo.
 
Gostou das informações?
Aproveite para conferir as demais publicações sobre Ninfetâmina e Demônios Não Choram acompanhando a fan page da Turnê Virtual! Se desejar adquirir a obra Demônios Não Choram, poderá encontrá-la em versão e-book por apenas R$ 1,99 na Amazon (aqui) ou em versão impressa pelo Clube de Autores (aqui). Se ainda desejar ler Ninfetâmina poderá encontrar na Amazon (aqui) ou na versão impressa através do site da Editora Baraúna (aqui).
Acompanhe também as redes sociais do autores: 
 
Kaah Araújo
 
Samuel Cardeal 
 
BOAS FESTAS!
 
 
 
 
Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Legal as entrevistas, o Samuel se inspirou em vários filmes que eu gosto. Tbm fiquei me perguntando se tinha algo relacionado com a bíblia por causa do nome do personagem principal e do titulo do livro.
    A próxima turnê poderia ser com um dos seus livros né??
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Os filmes que o Samuel se inspirou são bons e vou torcer por O Representante - Você vai pensar mil vezes antes de marcar a data do seu casamento! seja publicado atraiu minha atenção só pelo titulo

    ResponderExcluir
  3. Adorei as inspirações do Samuel, realmente são ótimas formas de se inspirar...
    Sucesso aos autores!!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será curioso, pelo menos para mim, ler o livro do Samuel e conferir seus personagens de nomes bíblicos, mas sem os sentimentos bíblicos.
      Bjs, Rose.

      Excluir
  4. Adorei as entrevistas! Gostei de saber que a Kaah se inspirou em músicas de rock para escrever, também amo e concordo que é uma ótima inspiração! Também gosto muito de escrever depois de ouvir minhas bandas favoritas, principalmente textos! Os dois livros devem ser muito bons, ainda não li nenhum dos dois, mas sinto uma vontade imensa de ler Demônios não choram!
    beijos ♥
    quemprecisadetvparaverbeyonce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá Ivi!! Nossa realmente demais poder ler as resenhas dos livros, pois fiquei bastante curiosa com os dois livros, e para finalizar com chave de ouro, poder ler esta maravilhosa entrevista com eles, achei demais saber sobre suas inspirações, ideias e metas!!
    Parabéns!!

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014