6

Tag 5 LIVROS QUE EU GOSTARIA DE VIVER

Quem responde a TAG de hoje é a Laís Caparroz.


Escolher apenas cinco histÓrias dentre as centenas que eu já li não é fácil, mas vamos lá…

Senhora, José de Alencar: Em uma visão inicialmente técnica, a obra se trata de um romance urbano, na qual encontramos uma crônica dos costumes da corte fluminense da época (a obra foi publicada em 1875); nesse livro, Alencar faz uma crítica à sociedade e cria o que foi chamado de perfil de mulher, muito presente em várias de suas obras. Vamos ao enredo: Aurélia, pobre e filha de uma costureira, se apaixona e namora Fernando, que a abandona por sua condição social com a intenção de se casar com a rica Adelaide. Algum tempo se passa, Aurélia fica órfã mas recebe uma grande herança de seu avô e ascende na sociedade. Como Fernando ainda não havia conseguido concretizar a ideia do casamento com Adelaide e por estar em situação financeira complicada, Aurélia decide se vingar comprando-o por marido. A moça faz uma proposta oculta a Fernando, que aceita de imediato, e ao descobrir que sua noiva seria Aurélia, a quem nunca deixara de amar, fica muito feliz e se declara a ela. Na noite de núpcias, ela informa ao seu novo marido que se trata apenas de um contrato, no qual ambos irão apenas desempenhar o papel social que lhes cabe e dormirão em quantos separados. Durante alguns meses, Aurélia o humilha em toda oportunidade, enquanto ele trabalha arduamente para juntar o dinheiro do dote e devolvê-lo. Quando Fernando quita sua dívida, Aurélia enxerga esse ato como a regeneração do amado e o aceita em seu quarto, finalmente consumando o casamento. 
Eu nem sei quantas vezes já li esse romance tão doce e forte ao mesmo tempo e sempre me surpreendo com a mágica das palavras e a dureza de Aurélia. Acho que é essa dureza que mexe tanto comigo e me faz querer viver a história dessa personagem (claro que a herança também ajuda...rs) As descrições do autor me encantam tanto que parece que eu estou vivendo aquele momento, me sinto arrebatada para aquele século que não faz parte da nossa realidade, e essa é outra característica da obra que me leva a desejar viver essa história.

Dom Casmurro - Machado de Assis: Como essa obra é muito conhecida (assim espero eu), não pretendo alongar no resumo: Órfão de pai, criado com desvelo pela mãe em Matacavalos (D. Glória, viúva), José Dias (o agregado), Tio Cosme (advogado e viúvo) e prima Justina (viúva), Bentinho possuía uma vizinha que conviveu como "irmã-namorada" dele, Capitolina - a Capitu. Seu projeto de vida era claro, sua mãe havia feito uma promessa, em que Bentinho iria para um seminário e tornar-se-ia um padre. Cumprindo a promessa Bentinho vai para o seminário, mas sempre desejando sair, pois se tornando padre não poderia se casar com Capitu. A vida do seminário, no entanto, não o atrai. Apesar de comprometido pela promessa, também D. Glória sofre com a ideia de separar-se do filho único. Com ajuda de José Dias, Bentinho abandona a vocação e, em seu lugar, ordena-se um escravo da família  Correm os anos e com eles o amor de Bentinho e Capitu. Entre o namoro e o casamento, Bentinho se forma em Direito e estreita a sua amizade com um ex-colega de seminário, Escobar, que acaba se casando com Sancha, amiga de Capitu. Do casamento de Bentinho e Capitu nasce Ezequiel. Escobar morre afogado e, durante seu enterro, Bentinho julga estranha a forma pela qual Capitu contempla o cadáver. Percebe que Capitu não chorava, mas aguçava um sentimento fortíssimo e precipita-se a crise. À medida que cresce, Ezequiel se torna cada vez mais parecido com Escobar. E Bentinho já havia encontrado, às vezes, Capitu e Escobar sozinhos em sua casa. Embora confiasse no amigo, que era casado e tinha até filha, o desespero de Bentinho é imenso. Bentinho muito ciumento chega a planejar o assassinato da esposa e do filho, seguido pelo seu suicídio, mas não tem coragem. Vem assim a separação do casal. Capitu viaja com o filho para a Europa, onde morre anos depois. Ezequiel volta ao Brasil para visitar o pai e conta da morte da mãe. Bentinho repara a semelhança entre Ezequiel e o antigo colega de seminário. Ezequiel volta a viajar e morre no estrangeiro. Bentinho, cada vez mais fechado em suas dúvidas, passa a ser chamado de casmurro pelos amigos e vizinhos.
Dom Casmurro é meu livro favorito desde a primeira leitura, e eu faria (quase) qualquer coisa pra ter vivido na Rua Matacavalos e ter convivido com os personagens. E, é claro, saber se a Capitu traiu ou não nosso Bentinho… Se posso opinar, eu acho que não...rs mas aí é outra discussão.

Orgulho e Preconceito - Jane Austen: A obra retrata a vida da sociedade rural do século XIX; e conta sobre os iniciais desentendimentos e mais tarde mútua compreensão entre Elizabeth Bennet (cuja vitalidade e humor tem geralmente atraído leitores) e a arrogante Darcy. O título Orgulho e Preconceito se refere (entre outras coisas) à maneira em que Elizabeth e Darcy se viram pela primeira vez. Orgulho e Preconceito pertence ao gênero comédia-romântica e é o mais famoso romance de Jane Austen; e sua introdução é uma das mais famosas linhas da literatura Inglesa: é uma conhecida verdade universal, que um homem solteiro em posse de uma grande fortuna deve estar querendo uma esposa. A principal personagem é Elizabeth Bennet, uma bela mulher de 20 anos, possuidora de uma mente ágil e ainda mais ágil língua. A amada irmã mais velha de Elizabeth, Jane, é mais gentil mas igualmente bela. Sr. Bennet é um excêntrico que passa a maior parte de seu tempo se escondendo em seus estudos (um refúgio por sua esposa irritante), e o resto de seu tempo fazendo sarcásticos comentários desmerecendo sua família. Uma outra irmã, Mary, é uma pregadora sem-graça, apaixonada por livros, enquanto as outras, Kitty e Lydia, são descuidadas e paqueradoras adolescentes, atraídas por homens de uniforme.Enquanto isso, a queixosa Sra. Bennet está desesperadamente determinada a assegurar bons partidos para as suas 5 filhas, enquanto tenta manter seus nervos em controle. O estado modesto da família Bennet em Hertfordshire se deve à falta de seus homens, o que significa que um primo, Sr Collins, irá herdar todo o patrimônio com a morte do Sr. Bennet, deixando a Sra Bennet e cada uma das suas não casadas filhas, sem casa e deixadas à viver com uma pequena e insuficiente renda. A trama se desenvolve nos relacionamentos das filhas: Lydia se casa com o Wickham, Jane se apaixona por Charles Bingley e Liz (Elizabeth) vive às brigas com o Sr. Darcy. É um livro leve e encantador.
Posso dizer que esse é meu segundo livro favorito e adoro as descrições que a autora faz, tanto dos lugares quanto das personagens. Gostaria de ser uma das irmãs Bennet, vivendo naquela família maluca e engraçada, naqueles campos lindos, convivendo com pessoas de classe e frequentando bailes. Sem falar nas cartas maravilhosas trocadas entre as personagens que são transcritas na íntegra, que vontade de ter lido aquelas palavras no idioma original, nos pergaminhos da época.

A marca de uma lágrima - Pedro Bandeira: Esse é fácil de resumir porque é um livro teen...rs
Isabel, uma adolescente de 13 anos, vive em meio aos conflitos normais da idade até ir a festa de aniversário do seu primo Cristiano, a quem não via a muito tempo e se apaixona assim que o reencontra. Porém ele se encanta com sua amiga Rosana e Isabel fica muito chateada. Sai da festa correndo e cai, desmaiando. Quando acorda, um rapaz que ela acredita ser Cristiano está sobre ela, ela sente a corrente do rapaz roçar seu rosto e se encanta com seu perfume, eles se beijam. Isabel fica ainda mais encantada com o primo achando que ele a beijara, e quando ele marca um encontro com ela, tem a certeza de que irá se declarar. Mas para infelicidade da menina ele queria pedir ajuda para falar com Rosana e pede que ela o ajude escrevendo uma carta, o que Rosana também pede. E Isabel fica ajudando ambos, escrevendo cartas para os dois sem o outro saber. Nesse meio tempo ela faz amizade com Fernando, um outro rapaz da escola que parece gostar dela. E a trama segue muito interessante quando ocorre o assassinato da professora do colégio onde eles estudam.
Ainda acontece muita coisa, mas eu quero que se você não leu ainda esse livro, vá fazer isso, é um livro teen, mas muito fofo.
Eu li esse livro quando tinha 13 ou 14 anos, e tudo que eu mais queria naquela época era me apaixonar por um menino lindo e que ele me beijasse (sim, com essa idade eu era BV…) e por isso entra nessa lista, foi meu desejo de adolescente.

E finalmente a saga que mudou minha vida, por mais surreal que seja:

Harry Potter - J. K. Rowling: Espero que no minimo vocês tenham visto os filmes (assim como a Ivi, tão devoradora de livros e ainda não conseguiu ler HP tsc tsc tsc).
É a historia do menino que não morreu. Valdemort, o grande vilão do mundo bruxo, mata os pais do bebe Potter mas ao tentar matar o menino o feitiço vira contra o feiticeiro, literalmente. Valdemort perde o corpo e fica vagando a procura de seguidores que não estejam em Askaban ( a prisão do mundo Bruxo). Harry é levado para a família de sua mãe, que são trouxas (aqueles que não são bruxos) e cresce sem saber de sua origem. Quando chega seu aniversário de 11 anos ele recebe a carta para frequentar a escola bruxa de Hogwarts, o que deixa o menino assustado e a família apavorada. Ele, por não saber do que se trata, eles por não querer se envolver com o lado bruxo. Harry vai para a escola, se encanta com o novo mundo, faz grandes amigos que duram os sete livros o resto de sua vida, Hermione e Rony. Muita coisa acontece durante os anos na escola, sempre trazendo a tona o conflito entre Harry e Valdemort, que consegue ressurgir.
Eu demorei uns anos após a publicação pra começar a ler, mas me apaixonei desde a primeira página. E você deve se perguntar o porquê de eu escolher este livro/saga para esta lista, já que se trata de uma história teen que eu li depois de adulta. É bem simples: a magia me encantou, a escrita da autora me arrebata e os personagens, todos eles, me cativam. Eu seria da Grifinória…


É isso, amo livros e faltam vários nessa lista, mas acho que esses são os principais. E vocês, quais escolheriam??
Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Nossa, eu também ia querer viver no mundo do Harry .. heheheh .. Amei a tag, muito legal os livros que você escolheu também. Mais outro livro que eu ia adore viver é A hospedeira :]

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Desses que você citou só li Dom Casmurro, acho que eu gostaria de viver nesse livro também. Mais pela época do que pela história. Na verdade gostaria de viver em qualquer livro de época <3 Um livro que eu tive MUITA vontade de pertencer ao mundo dele foi crepuscúleo. Agora não penso mais assim, mas quando li queria ser a Bella haha.

    ResponderExcluir
  3. Amei...o que se encaixa comigo é "A Marca de uma Lágrima"!!
    Por que será,hein???
    Vidinha difícil que eu tive como adolescente, era totalmente BV e era louquinha para viver um lindo romance...demorou,mas consegui...kkkkkkkkkkkk
    Bjss!!
    Allê

    ResponderExcluir
  4. Com certeza uma das minhas escolhas seria Harry Potter, ah como eu queria ter todos aqueles poderes e ainda ajudar o Harry a Hermione e o Rony nas suas aventuras.
    Só vou escolher mais dois, que são Pollyanna, queria conhecer ela, e Dona Bárbara, que é um livro que virou filme eu amo a cenário pelo qual se passa a história!

    ResponderExcluir
  5. Como não querer viver Harry Potter né...

    Eu pelo menos sou apaixonada por esse bruxinho hahaha

    Quantos clássicos... ^.^

    Adorei suas escolhas ;)

    XOXO
    umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Amei sua escolha e CLARO, quem nunca quis viver em Hp?
    Eu ainda quero, na verdade. Meus livros/filmes favoritos, sempre <3

    E parabéns por escolher clássicos, a maioria escolheria apenas hots modinhas, acredito eu KKK

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014